sexta-feira , 26 de novembro de 2021
RADIO
ONLINE
Porta Voz
MENU

Novidades

Policial

nov 20, 2018

Traficante brasileiro é acusado de matar mulher em prisão no Paraguai

O traficante brasileiro Marcelo Pinheiro Veiga, conhecido como Marcelo Piloto, um dos líderes do Comando Vermelho, foi acusado neste sábado (17) de matar uma mulher que foi visitá-lo no Agrupamento Especializado de Assunção, no Paraguai, onde está preso à espera de ser extraditado para o Brasil.

Segundo o Ministério Público, os agentes ainda estão analisando como o crime ocorreu. Legistas foram enviados ao local para avaliar o corpo, que depois foi levado para um necrotério da Justiça. A mulher, de 18 anos, é oriunda de General Resquín, no departamento de San Pedro, e foi atacada por Piloto com uma faca de cozinha por volta das 14h locais (15h em Brasília), segundo a imprensa paraguaia.

Ele teria esfaqueado a vítima 17 vezes. A jovem chegou a ser socorrida e levada ao hospital do bairro Operário, em Assunção, mas não resistiu aos ferimentos. O Ministério Público abriu uma nova acusação contra Piloto pelo crime, o que deve atrasar a extradição ao Brasil.

O integrante do Comando Vermelho recusou, durante uma audiência preliminar em um caso que investiga a produção de documentos falsos e a posse ilegal de armas, ser entregue às autoridades brasileiras. A juíza e o promotor do caso tentavam aplicar o chamado “critério de oportunidade” para acelerar a extradição ao país.

O mecanismo podia ser usado porque a expectativa da pena de Piloto no Paraguai não ultrapassa os dez anos. Por isso, sua prisão “perde relevância penal” pelo fato de o traficante ter cometido crimes mais graves em outro país. Ao questionar a aplicação do critério, a defesa do brasileiro argumentou que, na investigação pela falsificação de documentos, as diligências não foram feitas como deveriam.

No mês de outubro, o Ministério do Interior paraguaio disse ter impedido um plano para tentar libertar o traficante, após uma operação policial que terminou com a morte de três supostos integrantes do Comando Vermelho e a explosão controlada de um veículo cheio de explosivos com o qual supostamente pretendiam impactar a prisão na qual o criminoso está recluso.

No Brasil, Piloto é requerido pela Vara de Execuções Penais (VEP) do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro para cumprir duas sentenças pelas quais foi condenado a 21 anos de reclusão em um dos casos e a cinco anos e quatro meses no outro. Piloto está preso no Paraguai desde dezembro de 2017, quando foi detido na cidade de Encarnación após uma operação internacional conjunta entre várias agências.

 

fonte; noti-cia

COMPARTILHAR

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga a Rádio Porta Voz