segunda-feira , 19 de agosto de 2019
RADIO
ONLINE
Porta Voz Voz FM
MENU

Novidades

Município

mar 15, 2019

“Trabalho preventivo com os alunos é a melhor forma de segurança, afirmam educadores”,

O massacre na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano,
na Grande São Paulo, levantou discussões sobre a segurança nas
escolas e medidas que poderiam ser tomadas em situações
semelhantes. Para os educadores de Cianorte, o trabalho
preventivo com os alunos é a melhor forma de tentar evitar que
ações do tipo aconteçam.
De acordo com o chefe do Núcleo Regional de Educação (NRE) de
Cianorte, Carlos Destefano, as escolas não possuem segurança
suficiente para evitar que casos assim aconteçam. “Precisamos de
mais políticas públicas de segurança para as escolas, além de
ações preventivas”, afirma o chefe.
Segundo Destefano, as ações contínuas que procuram identificar
como estão os alunos dentro das escolas também são necessárias.
“Os problemas existem e os profissionais da educação precisam
estar preparados para identifica-los nos alunos”, completa o
chefe do NRE.
O Colégio Estadual Igléa Grolmann possui câmeras em todas as
salas, no pátio e na frente da escola. Além disso, dois policiais
militares moram no colégio e um vigia cuida da segurança interna, mas para a diretora, talvez não fosse possível evitar casos como o de Suzano. “Não podemos pensar só em medidas de segurança. A escola também precisa trabalhar com os alunos. Nós aqui temos um projeto intenso contra o preconceito entre estudantes, porque não sabemos qual é a reação de cada um”, afirma a diretora
Luciana Mara Tachini Barbosa.
No colégio passam em média 1, 3 mil pessoas por dia, então o uniforme é uma medida de reconhecimento. “Trabalhamos o uniforme como um aspecto de segurança e de igualdade, porque a gente entende que a identificação do aluno é a primeira forma
de saber quem é o nosso pessoal”, ressalta Luciana. Além disso, a diretora também vê a conversa contínua com os alunos como um investimento. “Não entendemos os diálogos como perda de tempo, é um investimento nos alunos que pode evitar consequências drásticas no futuro. Nós precisamos conhecer quem são e como estão os nossos alunos”, completa.

 

fonte: tribuna

COMPARTILHAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga a Rádio Porta Voz

Siga a Rádio Voz FM