quinta-feira , 6 de agosto de 2020
RADIO
ONLINE
Porta Voz
MENU

Novidades

Notícias de agora

set 09, 2019

Casos de violência contra a mulher aumentam 14% no primeiro semestre

Os casos de violência contra a mulher aumentaram 14,8% no primeiro semestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018. Foram registrados nos primeiros seis meses deste ano 590 ocorrências. No ano passado, foram 514 casos, de acordo com dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública e
Administração Penitenciária do Paraná (Sesp).
O delegado-adjunto da 21ª Subdivisão Policial de Cianorte, Carlos Gabriel Stecca, que responde interinamente pelos casos da Delegacia da Mulher, afirmou à reportagem da TRIBUNA DE CIANORTE que o aumento nas ocorrências está diretamente ligado ao fato das vítimas estarem procurando as redes de proteção para denunciar seus algozes. Conforme o policial, antes, a maioria dos casos não entrava nas estatísticas porque a mulher tinha medo de expor a sua situação e receio da vingança do companheiro.
“Nós creditamos muito ao fato dessa maior divulgação dos atendimentos às vitimas de violência doméstica realizados pela Delegacia da Mulher e pelos demais órgãos. Isso tem encorajado
as mulheres a procurar atendimento e a não permanecerem caladas. Elas estão mais conscientes de seus direitos. Em razão disso, elas procuram mais soluções” , explica Stecca.
São vários tipos de agressão que ocorrem no dia a dia das mulheres: física, psicológica, verbal e emocional. Segundo o delegado, as agressões psicológicas e físicas estão entre as mais comuns.
“Os crimes mais comuns são de injúria, que seriam xingamentos e violência psicológica, a violência doméstica, lesão corporal, que é um crime contra a integridade física da vítima. Temos também muitas ocorrências de ameaças, inclusive de morte. Ainda, os crimes de dano, quando o agressor também danifica algum bem patrimonial de forma proposital, para causar prejuízo econômico à vitima” afirma.

Apesar do aumento nos casos de violência, nenhum feminicídio foi registrado até o momento na Capital do Vestuário. No ano passado, porém, houve uma ocorrência. Foi na madrugada do dia 19 de maio, quando uma discussão entre irmãos terminou em morte, no bairro Seis Conjuntos. Um homem de 52 anos esganou sua irmã, Tereza Leonel da Silva ,de 58 anos, que morreu asfixiada. O autor, Delcides Leonel Bernardo, permanece preso na Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste.

PROTOCOLO
Mesmo com toda divulgação, muitas ocorrências ainda não são levadas ao conhecimento da polícia e demais órgãos. Por falta de coragem das vítimas, inúmeros casos ainda ficam dentro dos próprios ambientes domésticos.
Com o objetivo de incentivar as mulheres a denunciar o agressor e a buscar proteção, foi lançado em junho deste ano em Cianorte o Protocolo de Atendimento à Mulher em Situação de Violência. Trata-se de uma rede de proteção integrada, que dá suporte às mulheres que enfrentam alguma situação de violência doméstica.
As mulheres que vivem nesta situação têm à disposição uma rede composta por diferentes políticas públicas, como saúde e assistência social, além dos órgãos de proteção, como, por exemplo, delegacia, Ministério Público, Vara Criminal e Defensoria Pública.
A iniciativa é da promotora de Justiça, Elaine Lopo Rodrigues, com organização da assistente social da 16ª Unidade Regional de Apoio Técnico Especializado, Adriéli Volpato Craveiro, e apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, bem como em parceria com o Ministério Público do Estado do Paraná.

COMO DENUNCIAR
Sancionada em 7 de agosto de 2006, A Lei Maria da Penha tem o objetivo de proteger a mulher contra qualquer agressão. As mulheres que precisam denunciar qualquer abuso, casual ou recorrente, podem ir pessoalmente à Delegacia da Mulher de Cianorte, localizada na Rua Abolição, nº 538. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 13h30 às 18 horas.
As denúncias também podem ser feitas pelo 181 ou 190 ou diretamente na 21ª Subdivisão Policial, na Rua Monte Verde, n° 91.

fonte; tribuna

COMPARTILHAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga a Rádio Porta Voz