segunda-feira , 23 de outubro de 2017
RADIO
ONLINE
Porta Voz Voz FM
MENU

Novidades

Esporte

out 10, 2017

Craque do futebol Chinês, Ricardo Goulart ainda sonha com seleção e descarta Cruzeiro e Palmeiras

Renato Augusto, Paulinho, Gil, Diego Tardelli… Todos eles já foram convocados por Tite, mesmo jogando na China. Mas Ricardo Goulart, melhor jogador e artilheiro do Campeonato Chinês nos últimos dois anos, é brasileiro e ainda não vestiu a camisa da seleção sob o comando do gaúcho. O meia-atacante do Guangzhou Evergrande ganhou absolutamente tudo em dois anos e dez meses no exterior. Nesta entrevista exclusiva concedida ao Blog, por telefone, Goulart falou sobre sua esperança de disputar a Copa do Mundo, descartou retornar ao Brasil (apesar do interesse de Palmeiras e Cruzeiro) e revelou seu plano de atuar na Europa, que envolveu até a contratação de um novo empresário.

BLOG: Você ainda sonha com a ideia de jogar a Copa do Mundo da Rússia?
RICARDO GOULART: Sonho sim, claro! Tive o prazer de ser convocado duas vezes (com Dunga, em 2014) e vi que o ambiente é muito gostoso. Mas depende do treinador, que tem suas opiniões e método de trabalho.

Acha que merece a convocação?
Meus números mostram que estou em alto nível, no ápice da minha carreira. Fui o artilheiro do Campeonato Chinês e eleito o melhor jogador nos últimos dois anos. Também já ganhei tudo o que disputei aqui.

O fato de estar na China pode estar pesando contra? Imagina que já teria sido chamado pelo Tite se jogasse na Europa?
Todo mundo fala isso. Que a China vai apagar o jogador e não é assim que tem funcionado. Tenho certeza que o Tite está acompanhando o Campeonato Chinês. Ele sabe que estou aqui e o fato de estar chamando vários brasileiros me dá esperança. Inclusive gente do meu time.

O Paulinho, né?
Sim. Ele estava com a gente no Guangzhou Evergrande até outro dia (foi comprado em julho pelo Barcelona por 40 milhões de euros). Então, se o Tite via o Paulinho, também me via.

E o Felipão te dá algum conselho, enquanto você espera pela convocação?
Ele dá todo apoio e diz que minha hora vai chegar, que quer me ver na seleção… Ele sempre diz que eu vou ser convocado. Que tem certeza disso.

Você fez 27 gols no 1º ano na China, 29 no 2º e já tem 27 nesta temporada. A fase artilheira tem a ver com um posicionamento mais avançado?
Eu continuo jogando como meia-atacante, como nos tempos de Brasil. Nosso time atua num 4-2-3-1 e eu sou o meia centralizado, que joga logo atrás do centroavante.

Se não é o posicionamento, qual a explicação para tantos gols?
Eu escuto muito os professores. O Felipão, por exemplo, me incentiva muito a finalizar. Tenho aprimorado muito essa questão e desperdiço poucas chances dentro da área. Sem contar que nosso time cria muito.

Além da seleção, o que tem de planos para sua carreira? Pensa em voltar ao Brasil?
Isso não está nos planos. Tenho esse e mais três anos de contrato com o Evergrande, mas sonho em jogar na Europa. Estou buscando isso (Goulart trocou recentemente de empresário, fechando com Paulo Pitombeira, a fim de aumentar a chance de uma negociação para a Europa).

Acompanhou o Cruzeiro na final da Copa do Brasil?
Sim. Estava torcendo para o Cruzeiro ser campeão. Fui muito feliz jogando com aquela camisa, consegui uma projeção internacional e tenho enorme carinho pelo clube.

Além das sondagens de Cruzeiro e Palmeiras, pintou mais alguma coisa para você?
Não apareceu nada da Europa. E o momento meu e do time é excelente. Já ganhamos até a Champions da Ásia e eu fui artilheiro e melhor jogador. Precisam inventar um outro torneio para o Evergrande, porque já conquistamos tudo.

Existe um tabu sobre a vida na China. Como foi para você nesses dois anos e dez meses?
Bem tranquilo. Moro em um complexo bem moderno, com vários restaurantes. Nas folgas, eu e minha noiva viajamos pela Ásia. Já fomos para Tailândia, Indonésia, Maldivas, Japão… ficamos apaixonados pelas Maldivas.

Já aprendeu a falar alguma coisa de mandarim?
Não. Só o básico do básico. Chinês é uma das coisas mais difíceis. Falo o básico do inglês.

E como se vira com os outros jogadores do Evergrande que são chineses?
Tem cara com quem eu convivo há quase três anos e nunca falei (risos). Quando tem o intérprete, ainda ajuda um pouco. O Felipão às vezes fica louco com o tradutor.

Conte alguma história maluca por causa das diferenças culturais que você convive por aí?
Uma vez, o Gao Lin (atacante do Evergrande) deu um jantar na casa dele. Aí, estávamos sentados na mesa e serviram uma sopa que parecia uma água suja, cheia de coisa, cheia de coisa refogada. Sem contar que era muito apimentada. No dia seguinte, deu uma dor de barriga animal. Desde então, sopa por aqui, nunca mais.

Como você se vira com TV e redes sociais com as restrições que existem na China?
Tem um aparelho legal, que me permite assistir a todos os canais brasileiros. Também dá para acessar às redes sociais com o VPN. Quanto a isso, está tudo certo.

fonte: yahoo esporte

COMPARTILHAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Siga a Rádio Porta Voz